Ministro de Israel defende os cristãos perseguidos pelo Irã
04/01/2018 16:25 em Política

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, defendeu os cristãos no Irã, definindo o regime islâmico como “hipocrisia” depois que um dos líderes fez uma saudação de Natal quando o governo impede reuniões cristãs e aprisiona seus líderes. O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irã publicou um tweet alguns dias antes do Natal, incluindo a mensagem:

"Um Natal muito feliz e pacífico para todos. Que a mensagem universal de paz de Cristo seja abraçada no próximo ano".

Netanhayu salientou sobre a saudação de Natal de um representante de um dos perseguidores mais duros do mundo. "Eu me pergunto o que os cristãos presos neste mês no Irã pensariam sobre esse tweet", disse ele em uma mensagem postada em sua página do Facebook e no Twitter.

Há um tratamento muito severo sobre os cristãos na República Islâmica do Irã. As igrejas domésticas são ilegais e muitas vezes são atacadas por oficiais de segurança que prendem os líderes. Bíblias, livros e até equipamentos de escritório são confiscados pelo governo.

"Imagine orar silenciosamente em sua casa, cercado por sua família e, de repente, bandidos armados explodem e arrastam você para a prisão. Eles torturam você apenas por praticar sua fé. Bem-vindo ao Irã. Dizendo 'Feliz Natal' enquanto prende cristãos em seu próprio país. É o auge da hipocrisia", disse Netanyahu.

Apesar da perseguição, a igreja no Irã é uma das que mais cresce no mundo, já que dezenas de milhares de muçulmanos estão abandonando o Islã para seguir Jesus Cristo. Os jovens no Irã estão desencantados com o áspero regime islâmico e Netanyahu alcançou-os em sua mensagem, dizendo: "Eu me pergunto o que a juventude iraniana pensaria sobre esse tweet, mas, infelizmente, o regime proíbe o Twitter. Exceto, é claro, se você é um oficial de alto escalão".

Não é a primeira vez que Netanyahu chamou a atenção para a situação dos cristãos no Irã. Dirigindo-se a centenas de jornalistas cristãos em outubro, incentivou-os a destacar o sofrimento da igreja na nação islâmica. "Faça o perfil dos líderes cristãos corajosos presos pela prática de sua fé. Sente-se com as famílias, os professores da escola presos por anos simplesmente por converter-se ao cristianismo. Ligue as mentiras do presidente (Hassan) Rouhani, que prometeu em 2013 que todas as religiões "teriam a justiça" no Irã, enquanto tantos cristãos vivem lá com um terror constante", disse ele.

"Alguns líderes mundiais estão dispostos a ignorar essa repressão e buscam apaziguar o Irã, mas eu não sou um deles", continuou Netanyahu. "Eu acho que a forma como um país trata as minorias religiosas, isso se torna um indicador muito bom de como tratará seus concidadãos e seus vizinhos". Nesta mensagem mais recente, Netanyahu toma um tom familiar com os cristãos no Irã. "Nós estamos com você, irmãos e irmãs. O mundo está com você".

INFORMAÇÕES DO CHARISMA NEWS

COMENTÁRIOS